quinta-feira, 30 de junho de 2011

Gênesis 31


DEUS MANDA JACÓ TORNAR À TERRA DOS SEUS PAIS

1 Jacó, entretanto, ouviu as palavras dos filhos de Labão, que diziam: Jacó tem levado tudo o que era de nosso pai, e do que era de nosso pai adquiriu ele todas estas, riquezas.
2 Viu também Jacó o rosto de Labão, e eis que não era para com ele como dantes.
3 Disse o Senhor, então, a Jacó: Volta para a terra de teus pais e para a tua parentela; e eu serei contigo.

Qual é o fator determinante para uma decisão?
As palavras dos filhos de Labão?
O rosto ruim de Labão?
A situação complicada para o lado de Jacó?

Nenhuma das três.

O fator determinante para uma decisão é a “palavra do Senhor” e Sua direção. E foi o que Jacó recebeu de Deus no v. 3.

4 Pelo que Jacó mandou chamar a Raquel e a Léia ao campo, onde estava o seu rebanho,
5 e lhes disse: vejo que o rosto de vosso pai para comigo não é como anteriormente; porém o Deus de meu pai tem estado comigo.
6 Ora, vós mesmas sabeis que com todas as minhas forças tenho servido a vosso pai.

7 Mas vosso pai me tem enganado, e dez vezes mudou o meu salário; Deus, porém, não lhe permitiu que me fizesse mal.


Engano de Labão e a mudança do salário. Jacó explica essas mudanças nos próximo versículo.

8 Quando ele dizia assim: Os salpicados serão o teu salário; então todo o rebanho dava salpicados. E quando ele dizia assim: Os listrados serão o teu salário, então todo o rebanho dava listrados.
9 De modo que Deus tem tirado o gado de vosso pai, e mo tem dado a mim.

10 Pois sucedeu que, ao tempo em que o rebanho concebia, levantei os olhos e num sonho vi que os bodes que cobriam o rebanho eram listrados, salpicados e malhados.
11 Disse-me o anjo de Deus no sonho: Jacó! Eu respondi: Eis-me aqui.
12 Prosseguiu o anjo: Levanta os teus olhos e vê que todos os bodes que cobrem o rebanho são listrados, salpicados e malhados; porque tenho visto tudo o que Labão te vem fazendo.
13 Eu sou o Deus de Betel, onde ungiste uma coluna, onde me fizeste um voto; levanta-te, pois, sai-te desta terra e volta para a terra da tua parentela.

14 Então lhe responderam Raquel e Léia: Temos nós ainda parte ou herança na casa de nosso pai?
15 Não somos tidas por ele como estrangeiras? pois nos vendeu, e consumiu todo o nosso preço.
16 Toda a riqueza que Deus tirou de nosso pai é nossa e de nossos filhos; portanto, faze tudo o que Deus te mandou.

17 Levantou-se, pois, Jacó e fez montar seus filhos e suas mulheres sobre os camelos;
18 e levou todo o seu gado, e toda a sua fazenda, que havia adquirido, o gado que possuía, que havia adquirido em Padã-Arã, a fim de ir ter com Isaque, seu pai, à terra de Canaã.

19 Ora, tendo Labão ido tosquiar as suas ovelhas, Raquel furtou os ídolos que pertenciam a seu pai.

Por que Raquel fez isso?

20 Jacó iludiu a Labão, o arameu, não lhe fazendo saber que fugia;
21 e fugiu com tudo o que era seu; e, levantando-se, passou o Rio, e foi em direção à montanha de Gileade.

LABÃO PROSSEGUE ATRÁS DE JACÓ

22 Ao terceiro dia foi Labão avisado de que Jacó havia fugido.
23 Então, tomando consigo seus irmãos, seguiu atrás de Jacó jornada de sete dias; e alcançou-o na montanha de Gileade.

24 Mas Deus apareceu de noite em sonho a Labão, o arameu, e disse-lhe: Guardate, que não fales a Jacó nem bem nem mal.
25 Alcançou, pois, Labão a Jacó. Ora, Jacó tinha armado a sua tenda na montanha; armou também Labão com os seus irmãos a sua tenda na montanha de Gileade.

26 Então disse Labão a Jacó: Que fizeste, que me iludiste e levaste minhas filhas como cativas da espada?
27 Por que fizeste ocultamente, e me iludiste e não mo fizeste saber, para que eu te enviasse com alegria e com cânticos, ao som de tambores e de harpas;
28 Por que não me permitiste beijar meus filhos e minhas filhas? Ora, assim procedeste nesciamente.
29 Está no poder da minha mão fazer-vos o mal, mas o Deus de vosso pai falou-me ontem à noite, dizendo: Guarda-te, que não fales a Jacó nem bem nem mal.
30 Mas ainda que quiseste ir embora, porquanto tinhas saudades da casa de teu pai, por que furtaste os meus deuses?
31 Respondeu-lhe Jacó: Porque tive medo; pois dizia comigo que tu me arrebatarias as tuas filhas.
32 Com quem achares os teus deuses, porém, esse não viverá; diante de nossos irmãos descobre o que é teu do que está comigo, e leva-o contigo. Pois Jacó não sabia que Raquel os tinha furtado.
33 Entrou, pois, Labão na tenda de Jacó, na tenda de Léia e na tenda das duas servas, e não os achou; e, saindo da tenda de Léia, entrou na tenda de Raquel.
34 Ora, Raquel havia tomado os ídolos e os havia metido na albarda do camelo, e se assentara em cima deles. Labão apalpou toda a tenda, mas não os achou.

35 E ela disse a seu pai: Não se acenda a ira nos olhos de meu senhor, por eu não me poder levantar na tua presença, pois estou com o incômodo das mulheres. Assim ele procurou, mas não achou os ídolos.

Que situação ficou Raquel. 

36 Então irou-se Jacó e contendeu com Labão, dizendo: Qual é a minha transgressão? qual é o meu pecado, que tão furiosamente me tens perseguido?
37 Depois de teres apalpado todos os meus móveis, que achaste de todos os móveis da tua casar. Põe-no aqui diante de meus irmãos e de teus irmãos, para que eles julguem entre nós ambos.

38 Estes vinte anos estive eu contigo; as tuas ovelhas e as tuas cabras nunca abortaram, e não comi os carneiros do teu rebanho.
39 Não te trouxe eu o despedaçado; eu sofri o dano; da minha mão requerias tanto o furtado de dia como o furtado de noite.
40 Assim andava eu; de dia me consumia o calor, e de noite a geada; e o sono me fugia dos olhos.
41 Estive vinte anos em tua casa; catorze anos te servi por tuas duas filhas, e seis anos por teu rebanho; dez vezes mudaste o meu salário.

Jacó desabafa tudo o que passou e como se comportou em 20 anos diante de Labão.

42 Se o Deus de meu pai, o Deus de Abraão e o Temor de Isaque não fora por mim, certamente hoje me mandarias embora vazio. Mas Deus tem visto a minha aflição e o trabalho das minhas mãos, e repreendeu-te ontem à noite.

Se não fosse Deus, Labão teria despedido a Jacó sem direito a nada depois de 20 anos de trabalho duro.

O PACTO ENTRE LABÃO E JACÓ EM GALEEDE 

43 Respondeu-lhe Labão: Estas filhas são minhas filhas, e estes filhos são meus filhos, e este rebanho é meu rebanho, e tudo o que vês é meu; e que farei hoje a estas minhas filhas, ou aos filhos que elas tiveram?

Tudo era de Labão? Somente as duas filhas. O resto foi conseguido através de Jacó.

44 Agora pois vem, e façamos um pacto, eu e tu; e sirva ele de testemunha entre mim e ti.
45 Então tomou Jacó uma pedra, e a erigiu como coluna.
46 E disse a seus irmãos: Ajuntai pedras. Tomaram, pois, pedras e fizeram um montão, e ali junto ao montão comeram.

47 Labão lhe chamou Jegar-Saaduta, e Jacó chamou-lhe Galeede.

Jegar-Saaduta
שׁהדותא Y@gar Sahaduwtha = "elevação do testemunho".

Galeede
גלעד Gal`ed = "monte do testemunho"

48 Disse, pois, Labão: Este montão é hoje testemunha entre mim e ti. Por isso foi chamado Galeede;

49 e também Mizpá, porquanto disse: Vigie o Senhor entre mim e ti, quando estivermos apartados um do outro.

Mizpá
מצפה Mitspah = "torre de vigia"

50 Se afligires as minhas filhas, e se tomares outras mulheres além das minhas filhas, embora ninguém esteja conosco, lembra-te de que Deus é testemunha entre mim e ti.
51 Disse ainda Labão a Jacó: Eis aqui este montão, e eis aqui a coluna que levantei entre mim e ti.
52 Seja este montão testemunha, e seja esta coluna testemunha de que, para mal, nem passarei eu deste montão a ti, nem passarás tu deste montão e desta coluna a mim.

53 O Deus de Abraão e o Deus de Naor, o Deus do pai deles, julgue entre nós. E jurou Jacó pelo Temor de seu pai Isaque.
54 Então Jacó ofereceu um sacrifício na montanha, e convidou seus irmãos para comerem pão; e, tendo comido, passaram a noite na montanha.
55 Levantou-se Labão de manhã cedo, beijou seus filhos e suas filhas e os abençoou; e, partindo, voltou para o seu lugar.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Êxodo 19


DEUS FALA COM MOISÉS NO MONTE SINAI

1 No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai.

Israel chega no deserto do Sinai três meses depois que saíram do Egito.
Parece que tomaram um caminho mais distante.

2 Tendo partido de Refidim, entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam; Israel, pois, ali acampou-se em frente do monte.

3 Então subiu Moisés a Deus, e do monte o Senhor o chamou, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel:

Moisés sobe no monte atendendo o chamado do Senhor; Deus tinha palavras para o povo.
O líder deve sempre subir em sua espiritualidade e estar com o Senhor para receber palavra de Deus ao povo. 
Líder que não tem palavra para o povo é porque não "subiu" para o monte da presença do Senhor.

4 Vós tendes visto o que fiz: aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim.

Essa era a Palavra de Deus ao povo:

a. Deus lembrou ao povo o que Ele tinha feito a seu favor.

Basta uma luta ou um obstáculo e parece que Deus nunca fez nada por nós. Como esquecemos rapidamente das obras do Senhor; isso não pode acontecer.

Paulo estava admirado de como os gálatas tinham tão rapidamente “passado para outro evangelho” (Gálatas 1:6).

Lembrar-se do que Deus já fez, fortalece nossa fé no momento da prova e nossa esperança de que teremos a vitória.

Salmos 77:11
Eu me lembrarei das obras do Senhor; certamente que eu me lembrarei das tuas maravilhas da antiguidade.

Tome uns momentos nesse dia para lembrar-se e agradecer a Deus por tudo o que Ele já fez por sua vida.

b. Deus os lembrou que por causa dessa libertação, Ele os trouxe para si mesmo.

O coração de Deus é estar próximo de nós e nós próximos dele.

Jesus disse para Jerusalém que queria tê-la assim como a galinha tem seus pintinhos debaixo das asas (Mateus 23:37). 

O coração de Deus é estar com o homem. Ele fez o homem e desfrutava de uma perfeita comunhão até entrar o pecado no mundo. 
Através de Jesus, o homem pode voltar-se para Deus novamente (João 14:6).

5 Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra;

Deus lembra o povo do que fez e do que deseja, mas estabelece condições para o homem desfrutar do que Ele tem e é.

O Senhor estabelece duas condições:

a. Se diligentemente ouvir a voz do Senhor;

O problema de Israel e o nosso também; não é que Deus não fala, é que nós não somos diligentes para ouvir.
Diligência é ter atenção, cuidado, zelo, prontidão para ouvir a voz do Senhor. Não é qualquer pessoa falando, mas sim o Todo-Poderoso.
Quando ouvimos a voz do Senhor com diligência, somos os beneficiados.  

b. Se guardar o Seu concerto.

Não adiante ouvir e não guardar. Na Bíblia encontramos muitas referências ensinando-nos a guardar o que temos recebido do Senhor.

Guardar a Palavra (Salmos 119:11), guardar o coração (Provérbios 4:23),  guardar a unidade entre os irmãos (Efésios 4:3), etc.
Todo esse bom guardar, é resultado de ter guardado o concerto, ou a aliança com o Senhor.
Quando guardamos a aliança com Deus, todos e nós também somos beneficiados.

O resultado de cumprir essas duas condições, eram:

"sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos".

Como é importante entender que não somos de nós mesmos, mas de Deus (Salmos 100:3).
Essa verdade nos leva na prática a entender que tudo o que pensamos, falamos ou fazemos, deve girar em torno de agradar a aquele ao qual pertencemos.

6 e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.

"Sereis reino sacerdotal e povo santo"

Deus também nos chamou para interceder pelas pessoas e sermos pessoas separadas para Ele.

Pedro entendeu bem essa verdade (1 Pedro 2:9“sacerdócio real e nação santa”.

A intercessão é a arma de ataque do cristão e a santidade é a arma de defesa.

Deus se lembra do que fez por você e te chamou para ser dele. Você escuta a Deus com diligência e guarda Sua aliança? Ele quer fazer de ti Sua propriedade peculiar, Seu intercessor e adorador.

7 Veio, pois, Moisés e, tendo convocado os anciãos do povo, expôs diante deles todas estas palavras, que o Senhor lhe tinha ordenado.
8 Ao que todo o povo respondeu a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos. E relatou Moisés ao Senhor as palavras do povo.
9 Então disse o Senhor a Moisés: Eis que eu virei a ti em uma nuvem espessa, para que o povo ouça, quando eu falar contigo, e também para que sempre te creia. Porque Moisés tinha anunciado as palavras do seu povo ao Senhor.
10 Disse mais o Senhor a Moisés: Vai ao povo, e santifica-os hoje e amanhã; lavem eles os seus vestidos,
11 e estejam prontos para o terceiro dia; porquanto no terceiro dia descerá o Senhor diante dos olhos de todo o povo sobre o monte Sinai.
12 Também marcarás limites ao povo em redor, dizendo: Guardai-vos, não subais ao monte, nem toqueis o seu termo; todo aquele que tocar o monte será morto.
13 Mão alguma tocará naquele que o fizer, mas ele será apedrejado ou asseteado; quer seja animal, quer seja homem, não viverá. Quando soar a buzina longamente, subirão eles até o pé do monte.
14 Então Moisés desceu do monte ao povo, e santificou o povo; e lavaram os seus vestidos.
15 E disse ele ao povo: Estai prontos para o terceiro dia; e não vos chegueis a mulher.
16 Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e ouviu-se um sonido de buzina mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial estremeceu.
17 E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
18 Nisso todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a fumaça subiu como a fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia fortemente.
19 E, crescendo o sonido da buzina cada vez mais, Moisés falava, e Deus lhe respondia por uma voz.
20 E, tendo o Senhor descido sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.
21 Então disse o Senhor a Moisés: Desce, adverte ao povo, para não suceder que traspasse os limites até o Senhor, a fim de ver, e muitos deles pereçam.
22 Ora, santifiquem-se também os sacerdotes, que se chegam ao Senhor, para que o Senhor não se lance sobre eles.
23 Respondeu Moisés ao Senhor: O povo não poderá subir ao monte Sinai, porque tu nos tens advertido, dizendo: Marca limites ao redor do monte, e santifica-o.
24 Ao que lhe disse o Senhor: Vai, desce; depois subirás tu, e Arão contigo; os sacerdotes, porém, e o povo não traspassem os limites para subir ao Senhor, para que ele não se lance sobre eles.
25 Então Moisés desceu ao povo, e disse-lhes isso.



Comentários e notas: JLS

terça-feira, 28 de junho de 2011

Gênesis 26


1 Sobreveio à terra uma fome, além da primeira, que ocorreu nos dias de Abraão. Por isso foi Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar.
2 E apareceu-lhe o Senhor e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser;
3 peregrina nesta terra, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti, e aos que descenderem de ti, darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que fiz a Abraão teu pai;
4 e multiplicarei a tua descendência como as estrelas do céu, e lhe darei todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra;
5 porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis.
6 Assim habitou Isaque em Gerar.
7 Então os homens do lugar perguntaram-lhe acerca de sua mulher, e ele respondeu: É minha irmã; porque temia dizer: É minha mulher; para que porventura, dizia ele, não me matassem os homens daquele lugar por amor de Rebeca; porque era ela formosa à vista.
8 Ora, depois que ele se demorara ali muito tempo, Abimeleque, rei dos filisteus, olhou por uma janela, e viu, e eis que Isaque estava brincando com Rebeca, sua mulher.
9 Então chamou Abimeleque a Isaque, e disse: Eis que na verdade é tua mulher; como pois disseste: E minha irmã? Respondeu-lhe Isaque: Porque eu dizia: Para que eu porventura não morra por sua causa.
10 Replicou Abimeleque: Que é isso que nos fizeste? Facilmente se teria deitado alguém deste povo com tua mulher, e tu terias trazido culpa sobre nós.
11 E Abimeleque ordenou a todo o povo, dizendo: Qualquer que tocar neste homem ou em sua mulher, certamente morrerá.
12 Isaque semeou naquela terra, e no mesmo ano colheu o cêntuplo; e o Senhor o abençoou.
13 E engrandeceu-se o homem; e foi-se enriquecendo até que se tornou mui poderoso;
14 e tinha possessões de rebanhos e de gado, e muita gente de serviço; de modo que os filisteus o invejavam.
15 Ora, todos os poços, que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de seu pai Abraão, os filisteus entulharam e encheram de terra.
16 E Abimeleque disse a Isaque: Aparta-te de nós; porque muito mais poderoso te tens feito do que nós.
17 Então Isaque partiu dali e, acampando no vale de Gerar, lá habitou.
18 E Isaque tornou a cavar os poços que se haviam cavado nos dias de Abraão seu pai, pois os filisteus os haviam entulhado depois da morte de Abraão; e deu-lhes os nomes que seu pai lhes dera.
19 Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale, e acharam ali um poço de águas vivas.
20 E os pastores de Gerar contenderam com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. E ele chamou ao poço Eseque, porque contenderam com ele.
21 Então cavaram outro poço, pelo qual também contenderam; por isso chamou-lhe Sitna.
22 E partiu dali, e cavou ainda outro poço; por este não contenderam; pelo que chamou-lhe Reobote, dizendo: Pois agora o Senhor nos deu largueza, e havemos de crescer na terra.
23 Depois subiu dali a Beer-Seba.
24 E apareceu-lhe o Senhor na mesma noite e disse: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e te abençoarei e multiplicarei a tua descendência por amor do meu servo Abraão.
25 Isaque, pois, edificou ali um altar e invocou o nome do Senhor; então armou ali a sua tenda, e os seus servos cavaram um poço.
26 Então Abimeleque veio a ele de Gerar, com Aüzate, seu amigo, e Ficol, o chefe do seu exército.
27 E perguntou-lhes Isaque: Por que viestes ter comigo, visto que me odiais, e me repelistes de vós?
28 Responderam eles: Temos visto claramente que o Senhor é contigo, pelo que dissemos: Haja agora juramento entre nós, entre nós e ti; e façamos um pacto contigo,
29 que não nos farás mal, assim como nós não te havemos tocado, e te fizemos somente o bem, e te deixamos ir em paz. Agora tu és o bendito do Senhor.
30 Então Isaque lhes deu um banquete, e comeram e beberam.
31 E levantaram-se de manhã cedo e juraram de parte a parte; depois Isaque os despediu, e eles se despediram dele em paz.
32 Nesse mesmo dia vieram os servos de Isaque e deram-lhe notícias acerca do poço que haviam cavado, dizendo-lhe: Temos achado água.
33 E ele chamou o poço Seba; por isso é o nome da cidade Beer-Seba até o dia de hoje.
34 Ora, quando Esaú tinha quarenta anos, tomou por mulher a Judite, filha de Beeri, o heteu e a Basemate, filha de Elom, o heteu.

35 E estas foram para Isaque e Rebeca uma amargura de espírito.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Qual é tua fama?



"Melhor é a boa fama (bom nome) do que o melhor ungüento".
Eclesiastes 7:1

Definição: Fama é uma apreciação favorável ou não, relacionada à reputação que pessoas, um grupo ou todo um público tem sobre alguém.

Normalmente todo ser humano sente-se bem quando tem seu nome em uma revista ou jornal desde que seja uma boa notícia sobre a pessoa.
O desejo da fama é comum no grupo de amigos, na comunidade, bairro, no clube, escola, sociedade, mídia, etc.

Quem quando criança não desejou ser o menino ou a menina mais popular do colégio?
Quem não desejou ter sua foto em um cartaz grande no outdoor de sua cidade?
As pessoas querem ser conhecidas, querem ter um nome famoso.

Ser conhecido (a) ou famoso (a) não é em si um problema; mas a fama pode-se tornar a própria destruição de quem se fez famoso. Muitas pessoas se perderam quando as câmaras chegaram!
Acredito que o mais difícil que a própria fama é definir qual é a fama?

Quando nascemos, nascemos como que se nossa vida fosse um livro de páginas em branco. Como presente divino, ganhamos uma “caneta” que é nossa vida e começamos a escrever nossa história.
No inicio, como não sabemos escrever, escrevem por nós; mas logo começamos nós mesmos a escrever nossa história.

Em muitos casos a história é triste e feia, definindo assim nossa boa ou má fama. Sair de um lugar para outro, parece ser a maneira de tentar reiniciar a história apagando assim a “má fama”.
Ao chegar em um novo lugar onde não se conhece ninguém, chega-se com a esperança de escrever um nova história para alcançar assim uma “boa fama”.

Algumas perguntas para sua reflexão:

•            O que falam ou pensam de você?
•            O que você pensa de si mesmo (a)?
•            O que Deus pensa de você?    

Quero tentar trabalhar um pouquinho com cada uma dessas perguntas.

I)            O QUE FALAM OU PENSAM DE VOCÊ

Nos preocupamos muito com o que dizem ou pensam de nós.
Encontrei um texto na Bíblia onde o próprio Jesus fez essa pergunta.

Mateus 16:13
Tendo Jesus chegado às regiões de Cesaréia de Felipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?

Normalmente dizemos que não nos importamos com o que falam de nós. Em si não deve ser o medidor para definir quem somos, mas na verdade importa sim.

Falar ou pensar sobre você é algo que não tem como evitar. O que tem como evitar, é como e o que falam ou pensam de você. Qual é sua fama? Boa ou ruim? Que fama você fez onde vive e com quem vive? O que seu cônjuge pensa de você, seus pais ou filhos, amigos de trabalho ou chefe, irmãos na fé ou familiares?

Qual é sua fama no céu, na terra e debaixo da terra?

Sua fama no céu

Deus mesmo deu testemunho de Jó. Uauu, isso é demais! Penso muito no que Deus diz a meu respeito; você também pensa nisso? 

Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Jó 1:8

Sua fama na terra

Por onde passa, qual o testemunho que você deixa? Veja que exemplo lindo na Bíblia.  

E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus. 2 Reis 4:9

Sua fama no inferno

O que? Até no inferno temos "fama"? Com certeza!
Uma coisa é o que Deus pensa de você, outra o que as pessoas pensam de você e outra é o que o inferno pensa a seu respeito.

Atos 19:13-16
13 Ora, também alguns dos exorcistas judeus, ambulantes, tentavam invocar o nome de Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega.
14 E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, um dos principais sacerdotes.
15 respondendo, porém, o espírito maligno, disse: A Jesus conheço, e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?
16 Então o homem, no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa.

Qual é a sua fama?

É difícil e leva tempo para você construir uma "Boa Fama", mas para perde-la é questão de uma ação ou palavra.

II)            O QUE VOCÊ PENSA DE SI MESMO

Outra questão importante em relação a essa pergunta é "Qual é sua fama?", é o que você pensa de si mesmo.

Muitas pessoas entram em crise quando tem que conversar "consigo mesmas" (Sl 42:11). Há pessoas tentando fugir de si mesmas para não se confrontar com perguntas sobre suas palavras ou ações. Cria-se explicações para si mesmas para justificar suas ações. Constroem-se suas próprias "verdades" para ir amenizando a consciência até cauteriza-la (1 Tm 4:2).

O que você pensa de si mesmo (a)? Qual a sua definição de sua própria vida?

Disseram-lhe, pois: Quem és? para podermos dar resposta aos que nos enviaram; que dizes de ti mesmo? Jo 1:22

Quando perguntas como essas são feitas, quais são suas respostas e qual a base delas?

Por causa de abusos, traumas e feridas, muitas pessoas não conseguem ver a si mesmas como Deus as vê. Um exemplo disso são os espias de Israel.

Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos. Números 13:33.

Hoje, os livros de auto-ajuda são "famosos", pois vivemos em uma geração com dificuldade de definir quem são. Para que você entende quem é, tem que entender porque esta aqui e quem lhe trouxe aqui.

A definição de sua fama, não se pode basear no que você pensa de si mesmo ou como se sente. A Palavra de Deus tem a resposta exata para você.

Você precisa resolver seus conflitos internos e não alcançará um porto seguro se não for na pessoa que te criou.

III)            O QUE DEUS PENSA DE VOCÊ

e eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Mateus 3:17.

Quando Jesus estava sendo batizado no rio Jordão, ele ouviu essa voz dos céus.
Sua fama para com o Pai era a das melhores.

Deus tem pensamentos de paz a seu respeito (Jer 29:11), mas Ele não se equivoca tendo o culpado por inocente (Nm 14:18); ou seja, Ele sabe muito bem quem você é e o que faz.

Voltando-se para quem te criou, Ele poderá corrigir os caminhos tortuosos e conduzi-lo (a) de volta às sendas antigas de Seu amor e propósito para sua vida.

Se esta crescendo em um bom testemunho diante de Deus e dos homens, continue por esse caminho (Is 30:21; Jo 14:6).
Se reconhece que sua fama não é boa, hoje é sua oportunidade de começar a escrever uma nova página de sua vida; volte-se para Deus (Tg 4:8), entregue tudo a Ele e Ele tudo fará (Sl 37:5).

Qual é tua fama?

domingo, 26 de junho de 2011

Gênesis 27


1 Quando Isaque já estava velho, e se lhe enfraqueciam os olhos, de maneira que não podia ver, chamou a Esaú, seu filho mais velho, e disse-lhe: Meu filho! Ele lhe respondeu: Eis-me aqui!
2 Disse-lhe o pai: Eis que agora estou velho, e não sei o dia da minha morte;
3 toma, pois, as tuas armas, a tua aljava e o teu arco; e sai ao campo, e apanha para mim alguma caça;
4 e faze-me um guisado saboroso, como eu gosto, e traze-mo, para que eu coma; a fim de que a minha alma te abençoe, antes que morra.
5 Ora, Rebeca estava escutando quando Isaque falou a Esaú, seu filho. Saiu, pois, Esaú ao campo para apanhar caça e trazê-la.
6 Disse então Rebeca a Jacó, seu filho: Eis que ouvi teu pai falar com Esaú, teu irmão, dizendo:
7 Traze-me caça, e faze-me um guisado saboroso, para que eu coma, e te abençoe diante do Senhor, antes da minha morte.
8 Agora, pois, filho meu, ouve a minha voz naquilo que eu te ordeno:
9 Vai ao rebanho, e traze-me de lá das cabras dois bons cabritos; e eu farei um guisado saboroso para teu pai, como ele gosta;
10 e levá-lo-ás a teu pai, para que o coma, a fim de te abençoar antes da sua morte.
11 Respondeu, porém, Jacó a Rebeca, sua mãe: Eis que Esaú, meu irmão, é peludo, e eu sou liso.
12 Porventura meu pai me apalpará e serei a seus olhos como enganador; assim trarei sobre mim uma maldição, e não uma bênção.
13 Respondeu-lhe sua mãe: Meu filho, sobre mim caia essa maldição; somente obedece à minha voz, e vai trazer-mos.
14 Então ele foi, tomou-os e os trouxe a sua mãe, que fez um guisado saboroso como seu pai gostava.
15 Depois Rebeca tomou as melhores vestes de Esaú, seu filho mais velho, que tinha consigo em casa, e vestiu a Jacó, seu filho mais moço;
16 com as peles dos cabritos cobriu-lhe as mãos e a lisura do pescoço;
17 e pôs o guisado saboroso e o pão que tinha preparado, na mão de Jacó, seu filho.
18 E veio Jacó a seu pai, e chamou: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho?
19 Respondeu Jacó a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito; tenho feito como me disseste; levanta-te, pois, senta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe.
20 Perguntou Isaque a seu filho: Como é que tão depressa a achaste, filho meu? Respondeu ele: Porque o Senhor, teu Deus, a mandou ao meu encontro.
21 Então disse Isaque a Jacó: Chega-te, pois, para que eu te apalpe e veja se és meu filho Esaú mesmo, ou não.
22 chegou-se Jacó a Isaque, seu pai, que o apalpou, e disse: A voz é a voz de Jacó, porém as mãos são as mãos de Esaú.
23 E não o reconheceu, porquanto as suas mãos estavam peludas, como as de Esaú seu irmão; e abençoou-o.
24 No entanto perguntou: Tu és mesmo meu filho Esaú? E ele declarou: Eu o sou.
25 Disse-lhe então seu pai: Traze-mo, e comerei da caça de meu filho, para que a minha alma te abençoe: E Jacó lho trouxe, e ele comeu; trouxe-lhe também vinho, e ele bebeu.
26 Disse-lhe mais Isaque, seu pai: Aproxima-te agora, e beija-me, meu filho.
27 E ele se aproximou e o beijou; e seu pai, sentindo-lhe o cheiro das vestes o abençoou, e disse: Eis que o cheiro de meu filho é como o cheiro de um campo que o Senhor abençoou.
28 Que Deus te dê do orvalho do céu, e dos lugares férteis da terra, e abundância de trigo e de mosto;
29 sirvam-te povos, e nações se encurvem a ti; sê senhor de teus irmãos, e os filhos da tua mãe se encurvem a ti; sejam malditos os que te amaldiçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem.
30 Tão logo Isaque acabara de abençoar a Jacó, e este saíra da presença de seu pai, chegou da caça Esaú, seu irmão;
31 e fez também ele um guisado saboroso e, trazendo-o a seu pai, disse-lhe: Levantate, meu pai, e come da caça de teu filho, para que a tua alma me abençoe.
32 Perguntou-lhe Isaque, seu pai: Quem és tu? Respondeu ele: Eu sou teu filho, o teu primogênito, Esaú.
33 Então estremeceu Isaque de um estremecimento muito grande e disse: Quem, pois, é aquele que apanhou caça e ma trouxe? Eu comi de tudo, antes que tu viesses, e abençoei-o, e ele será bendito.
34 Esaú, ao ouvir as palavras de seu pai, bradou com grande e mui amargo brado, e disse a seu pai: Abençoa-me também a mim, meu pai!
35 Respondeu Isaque: Veio teu irmão e com sutileza tomou a tua bênção.
36 Disse Esaú: Não se chama ele com razão Jacó, visto que já por duas vezes me enganou? tirou-me o direito de primogenitura, e eis que agora me tirou a bênção. E perguntou: Não reservaste uma bênção para mim?
37 Respondeu Isaque a Esaú: Eis que o tenho posto por senhor sobre ti, e todos os seus irmãos lhe tenho dado por servos; e de trigo e de mosto o tenho fortalecido. Que, pois, poderei eu fazer por ti, meu filho?
38 Disse Esaú a seu pai: Porventura tens uma única bênção, meu pai? Abençoa-me também a mim, meu pai. E levantou Esaú a voz, e chorou.
39 Respondeu-lhe Isaque, seu pai: Longe dos lugares férteis da terra será a tua habitação, longe do orvalho do alto céu;
40 pela tua espada viverás, e a teu irmão, serviras; mas quando te tornares impaciente, então sacudirás o seu jugo do teu pescoço.
41 Esaú, pois, odiava a Jacó por causa da bênção com que seu pai o tinha abençoado, e disse consigo: Vêm chegando os dias de luto por meu pai; então hei de matar Jacó, meu irmão.
42 Ora, foram denunciadas a Rebeca estas palavras de Esaú, seu filho mais velho; pelo que ela mandou chamar Jacó, seu filho mais moço, e lhe disse: Eis que Esaú teu irmão se consola a teu respeito, propondo matar-te.
43 Agora, pois, meu filho, ouve a minha voz; levanta-te, refugia-te na casa de Labão, meu irmão, em Harã,
44 e demora-te com ele alguns dias, até que passe o furor de teu irmão;
45 até que se desvie de ti a ira de teu irmão, e ele se esqueça do que lhe fizeste; então mandarei trazer-te de lá; por que seria eu desfilhada de vós ambos num só dia?

46 E disse Rebeca a Isaque: Enfadada estou da minha vida, por causa das filhas de Hete; se Jacó tomar mulher dentre as filhas de Hete, tais como estas, dentre as filhas desta terra, para que viverei?

sábado, 25 de junho de 2011

Gênesis 28


1 Isaque, pois, chamou Jacó, e o abençoou, e ordenou-lhe, dizendo: Não tomes mulher dentre as filhas de Canaã.
2 Levanta-te, vai a Padã-Arã, à casa de Betuel, pai de tua mãe, e toma de lá uma mulher dentre as filhas de Labão, irmão de tua mãe.
3 Deus Todo-Poderoso te abençoe, te faça frutificar e te multiplique, para que venhas a ser uma multidão de povos;
4 e te dê a bênção de Abraão, a ti e à tua descendência contigo, para que herdes a terra de tuas peregrinações, que Deus deu a Abraão.
5 Assim despediu Isaque a Jacó, o qual foi a Padã-Arã, a Labão, filho de Betuel, arameu, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e de Esaú.
6 Ora, viu Esaú que Isaque abençoara a Jacó, e o enviara a Padã-Arã, para tomar de lá mulher para si, e que, abençoando-o, lhe ordenara, dizendo: Não tomes mulher dentre as filhas de Canaã,
7 e que Jacó, obedecendo a seu pai e a sua mãe, fora a Padã-Arã;
8 vendo também Esaú que as filhas de Canaã eram más aos olhos de Isaque seu pai,
9 foi-se Esaú a Ismael e, além das mulheres que já tinha, tomou por mulher a Maalate, filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote.
10 Partiu, pois, Jacó de Beer-Seba e se foi em direção a Harã;
11 e chegou a um lugar onde passou a noite, porque o sol já se havia posto; e, tomando uma das pedras do lugar e pondo-a debaixo da cabeça, deitou-se ali para dormir.
12 Então sonhou: estava posta sobre a terra uma escada, cujo topo chegava ao céu; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela;
13 por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e à tua descendência;
14 e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra.
15 Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado.
16 Ao acordar Jacó do seu sono, disse: Realmente o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia.
17 E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.
18 Jacó levantou-se de manhã cedo, tomou a pedra que pusera debaixo da cabeça, e a pôs como coluna; e derramou-lhe azeite em cima.
19 E chamou aquele lugar Betel; porém o nome da cidade antes era Luz.
20 Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo e me
guardar neste caminho que vou seguindo, e me der pão para comer e vestes para vestir,
21 de modo que eu volte em paz à casa de meu pai, e se o Senhor for o meu Deus,

22 então esta pedra que tenho posto como coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Nem uma unha ficará

Êxodo 10:26
E também o nosso gado há de ir conosco, nem uma unha ficará; porque daquele havemos de tomar para servir ao SENHOR, nosso Deus; porque não sabemos com que havemos de servir ao SENHOR, até que cheguemos lá.

Hoje, em nossa oração via Skype, lemos os capítulos 10, 11 e 12 do livro de Êxodo.
Como uma pessoa que gosta de observar as Escrituras para depois aplicar em minha vida, observei essas palavras e também o contexto em que elas foram pronunciadas e desejo compartir com você.

O texto apresenta Moisés e Faraó em um grande combate; “Deixa ir o povo”, (Ex 10:4) “Não deixo ir o povo”. Já tinha vindo sete pragas sobre o Egito e o coração de Faraó continuava duro.
É assim com o inimigo também; ele não quer soltar as vidas para viverem livres com Cristo.
Essas batalhas existem também dentro de nós que se expressam em vontades, pensamentos, sentimentos onde tudo isso é levado no campo das ações havendo uma luta constante (Gl 5:17).

PEDINDO NOSSOS FILHOS

Com todas as pragas que já tinham vindo sobre a maior potência mundial da época, o pais esta destruído (Ex 10:7).
Vendo isso, Faraó diz para Moisés e Arão que eles podiam partir (Ex 10:8), mas ... há uma pergunta “Quais são os que hão de ir?”. Se podiam partir, porque perguntou quem iria? Não eram todos?

Moisés deixa claro que todos e tudo irão (Ex 10:9). “Havemos de ir com...”

      ·      nossos meninos;
      ·      nossos velhos;
      ·      nossos filhos e nossas filhas;
      ·      nossas ovelhas e nossos bois.

A proposta de Faraó não era a mesma. Ele disse que Moisés tinha “más intenções” (Ex 10:10) e permitiu que somente os homens fossem e as crianças ficassem.
Esse é o plano; se Satanás não consegue fazer você se desviar do caminho, tentará com todas suas forças fazer com que teus filhos se desviem.

Se entregamos nossos filhos (é o que Satanás quer), estamos dizendo que amanhã não haverá mais igreja, não haverá mais fé e nem princípios de Deus.
Percebo que o investimento do inferno contra nossas crianças é pesado. TV, internet, figuras de autoridades, valores e disciplina em extinção; tudo isso. É como dizer: “Pais, servam a Deus, mas deixem vossos filhos servirem ao mundo”.

Assim como Moisés, não deixaremos nossos filhos no mundo. Josué 24:15; Provérbios 22:6; Atos 16:31.

Por Faraó não deixar ir “todos”, veio sobre o Egito a praga dos gafanhotos (Ex 10:12-15).

PEDINDO NOSSA ADORAÇÃO

Após a praga dos gafanhotos, o coração de Faraó fica mais duro e então vem a praga das trevas. Ah, somente na casa dos israelitas tinha luz (Ex 10:23).

A nova proposta de Faraó agora era que as crianças podiam ir, mas que deixassem os rebanhos e gados (Ex 10:24).

Aqui Faraó estava dizendo: “Fiquem com as cerimônias, com a liturgia, com a Lei, até com toda a família; mas me entreguem a adoração”.

Os rebanhos e gados seriam usados para os sacrifícios e holocaustos ao Senhor (Ex 10:25, 26). Sem eles não haveria adoração ao Senhor.

A mesma proposta Satanás faz para muitos cristãos atualmente dizendo: “Pode ficar com tudo, mas não adore a Deus”.
Satanás foi atrevido com Moisés e muito mais com o próprio Senhor Jesus no monte da tentação no deserto (Mt 4:8-10).
Se ele tentou Moisés através de Faraó e o Senhor Jesus, não tentará desviar-nos da adoração ao único Deus verdadeiro? Com certeza que sim.

A adoração em espírito e em verdade (Jo 4:23, 24) ao Senhor é o segredo da força do cristão. Pode-se deixar tudo, mas se tira a adoração a Deus, nos tornamos ocos.
Não abra mão do que é mais importante em sua vida!

NEM UMA UNHA FICARÁ

Moisés foi claro a Faraó que:

      ·      as crianças não ficariam – nossa herança e descendência;
      ·      os rebanhos e gado não ficariam – nossa adoração a Deus.

Ele não abriu mão de sua descendência e nem de sua adoração a Deus e foi radical dizendo que “nem uma unha ficaria” no Egito (Ex 10:26).

Havia um homem que estava disposto a fazer qualquer coisa a fim de ser milionário; então o diabo mostrou-lhe uma mansão maravilhosa e disse que a daria, com uma condição:

"Está vendo aquele prego na parede? É meu, sempre será meu, você aceita?".

E o homem aceitou. Anos depois, o homem ofereceu um banquete em sua mansão. Foram convidados os homens mais importantes da cidade. A festa era um luxo e tudo estava superando as expectativas, quando alguém entrou e colocou um pedaço de carniça fedorenta no prego da parede. O dono da mansão mandou chamar os seguranças e expulsou aquele intruso, mas então o diabo apareceu e disse: "Um momento, o prego é meu e eu tenho direito de usá-lo como eu quiser."

Se deixarmos Satanás dominar um pequeno cantinho do nosso coração (o que para Moisés representava uma unha) isto é o suficiente para que ele transtorne toda a nossa vida.

Aplicação:

Não salve somente sua vida; salve também seus filhos.
Não tenha tudo e perca a adoração a Deus.

Oração:

Senhor, nesse dia venho diante de Ti para agradecer-te por essa Palavra que é viva e eficaz.
Hoje entendi que há uma batalha do inimigo contra a minha vida; batalhas externas e internas.
Não abro mãos de minha família, não abro mão de meu casamento, não abro mão de meus filhos; eles servirão ao Senhor hoje e serão a continuação dos adoradores do único Deus verdadeiro no amanhã.
Confesso que meu coração só tem lugar para adorar ao Deus que se revelou a mim através das páginas do Sagrado Livro na pessoa de Jesus Cristo. Não abro mão de minha adoração ao Senhor e renuncio qualquer “outro senhor” que queira tomar minha adoração.

Amado Deus, ajuda-me a fechar todas as “brechas” de minha vida. Ajuda-me a não negociar com o pecado e nem permitir nem mesmo “um prego” de Satanás nas paredes de meu coração.
Venho diante de Ti em uma entrega incondicional para obedecê-lo completamente e ter um total compromisso com a Sua Palavra.

Meu Deus, não quero deixar nem “uma unha” no mundo.
No nome de Jesus oro. Amem.

Ficaram com Ele - João 1.39

Clique aqui para ouvir